FM 95.9 -FM106.5

AM 1160

Veja como cada deputado votou na proposta de aumento do ICMS no RS

Sessão na Assembleia Legislativa foi precedida de tumulto e divergências.Lei que eleva alíquotas do ICMS recebeu 27 votos a favor e 26 contra. Sessão na Assembleia Legislativa foi precedida de tumulto e divergências.Lei que eleva alíquotas do ICMS recebeu 27 votos a favor e 26 contra.

O projeto do governo do Rio Grande do Sul de aumento das alíquotas do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) foi aprovado na noite de terça-feira (22) na Assembleia Legislativa. Em sessão polêmica, que foi precedida por tumulto do lado de fora do prédio, a votação terminou com 27 votos favoráveis e 26 contrários.Dividido em PL 319 e o PL 320, o projeto teve o mesmo resultado nas duas partes. A primeira trata da elevação de 17% para 18% da alíquota básica do ICMS, que é aplicada a todas as operações e prestações de serviços sem alíquota específica. A segunda diz respeito às alíquotas sobre energia elétrica, álcool, gasolina e telefonia fixa e móvel, que subirão de 25% para 30%.O aumento será válido até 2018. Antes de a sessão começar, o líder do governo na Assembleia, deputado Alexandre Postal (PMDB), anunciou que o governo aceitou modificar o projeto original, estabelecendo três anos para a elevação de impostos, por sugestão do PDT.Assim, o partido que integra a base do governo e que até então estava indeciso, decidiu apoiar a proposta. O voto dos oito deputados trabalhistas foram importantes para a aprovação da proposta.Com o aumento, que passa a valer em 2016, o Palácio Piratini espera arrecadar R$ 1,9 bilhão a mais por ano para enfrentar a crise financeira do estado, atolado em dívidas e com dificuldade para pagar os salários dos servidores – atrasados nos dois últimos meses. O déficit nas contas do estado em 2015 é estimado em R$ 5,4 bilhões.O G1 mostra, a seguir, a lista de todos os deputados com seus respectivos votos, que foram os mesmos para os dois PLs:PTAdão Villaverde: NãoAltemir Tortelli: NãoEdegar Pretto: NãoJeferson Fernandes: NãoLuiz Fernando Mainardi: NãoMiriam Marroni: NãoNelsinho Metalúrgico: NãoStela Farias: NãoTarcisio Zimmerman: NãoValdeci Oliveira: NãoZé Nunes: NãoPMDBAlexandre Postal: SimÁlvaro Boessio: SimGabriel Souza: SimGilberto Capoani: SimIbsen Pinheiro: SimTiago Simon: SimVilmar Zanchin: SimPPAdolfo Brito: NãoErnani Polo: SimFrederico Antunes: NãoJoão Fischer: SimPedro Westphalen: SimSérgio Turra: NãoSilvana Covatti: NãoPDTCiro Simoni: SimDr. Basegio: SimEduardo Loureiro: SimEnio Bacci: SimGilmar Sossella: SimJuliana Brizola: SimMarlon Santos: SimRegina Becker Fortunati: SimPTBAloísio Classmann: NãoLuís Augusto Lara: NãoMarcelo Moraes: NãoMaurício Dziedricki: NãoRonaldo Santini: NãoPSDBAdilson Troca: SimJorge Pozzobom: NãoPedro Pereira: SimZilá Breitenbach: SimPSBCatarina Paladini: SimElton Weber: SimLiziane Bayer: SimPPSAny Ortiz: NãoPCdoBJuliano Roso: NãoJunior Piaia: NãoPVJoão Reinelli: SimPSDMario Jardel: SimPRMissionário Volnei: SimPSOLPedro Ruas: NãoPPLBombeiro Bianchini: Não (Nelson Buzatto) (Foto: Wilson Cardoso/Agência ALRS)  

Mais notícias