Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Sossella obtém liminar para retomar mandato no RS até julgamento no TSE

Ex-presidente da Assembleia recorre de condenação por irregularidades.Deputado teve diploma cassado em fevereiro e deixou cargo em março. Ex-presidente da Assembleia recorre de condenação por irregularidades.Deputado teve diploma cassado em fevereiro e deixou cargo em março.

O deputado estadual Gilmar Sossella (PDT) poderá retomar seu mandato na Assembleia Legislativa até que o recurso à condenação por irregularidades eleitorais seja julgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A corte concedeu à defesa do parlamentar uma liminar para que ele volte a ocupar o cargo. Em nota divulgada no Facebook, Sossella agradeceu a eleitores e apoiadores e disse que tentará provar sua inocência no TSE. "Não iremos comemorar, pois esta é apenas a primeira vitória de uma guerra que estamos travando em busca da restituição da verdade sobre todo esse episódio", escreveu. O parlamentar teve o diploma cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RS) em fevereiro deste ano. No último dia 31, a Mesa Diretora acatou o pedido da Justiça Eleitoral sobre a cassação do pedetista e determinou o afastamento imediato dele após a condenação por irregularidades eleitorais. O suplente Vinícius Ribeiro (PDT) tomou posse no dia seguinte. O deputado foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por irregularidades cometidas durante a campanha nas eleições de 2014. Conforme as investigações, ele pressionou funcionários da Assembleia Legislativa a comprarem convites no valor de R$ 2,5 mil para um jantar de arrecadação da campanha dele. Um funcionário teria se recusado a comprar e acabou demitido. Segundo a decisão do TRE-RS, Sossella ficará inelegível pelo período de oito anos. Nas eleições de outubro de 2014, Sossella foi reeleito com 57.490 votos para cumprir o terceiro mandato consecutivo no parlamento gaúcho. Ele havia sido presidente da Assembleia na legislatura anterior. (Nelson Buzatto) 

Mais notícias