FM 95.9 -FM106.5

AM 1160

Proposta Orçamentária do RS para 2016 prevê déficit de R$ 6,2 bilhões

Receitas foram estimadas em R$ 56,3 bi e as despesas, em R$ 62,5 bi. Governo diz que vai ter que buscar receitas extras para cobrir o rombo. Receitas foram estimadas em R$ 56,3 bi e as despesas, em R$ 62,5 bi. Governo diz que vai ter que buscar receitas extras para cobrir o rombo.

O governo do Rio Grande do Sul entregou nesta quarta-feira (16) à Assembleia Legislativa a Proposta Orçamentária para 2016. O projeto prevê um déficit de R$ 6,2 bilhões nas contas do Estado. O rombo é resultado da diferença entre as receitas, estimadas em R$ 56,3 bilhões, e as despesas, que somam R$ 62,5 bilhões. proposta aumenta impostosPara 2015, a Secretaria Estadual da Fazenda estima um déficit de R$ 5,4 bilhões. Sem dinheiro no caixa e sem ter de onde tirar, o governo do Estado não consegue mais pagar despesas, atrasa salários e outros compromissos.  "Mesmo com toda prudência impressa nas diretrizes da LDO 2016, o déficit permanece, pois as receitas caem enquanto que a maior parte das despesas ainda cresce. Com isso, reforça-se a necessidade de irmos em busca de incremento nas receitas próprias, sem deixar de rever determinadas despesas que ainda possam sofrer uma readequação", comentou o secretário do Planejamento e Desenvolvimento Regional, Cristiano TatschConforme a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), aprovada em maio, está previsto um aumento de 3% de despesas com pessoal. O reajuste em duas parcelas para os servidores da Segurança Pública está mantido e terá impacto de R$ 900 milhões entre o pagamento de ativos e inativos.Na área da saúde, está prevista a aplicação constitucional de 12% da Receita Líquida de Impostos e Transferências (RLIT), com a destinação de R$ 3,4 bilhões em despesas, incluindo mais de R$ 1 bilhão para atendimento de média e alta complexidade. A educação tem uma previsão orçamentária total de R$ 8,9 bilhões. Outros R$ 500 milhões serão aplicados na construção, manutenção e pavimentação de rodovias e acessos municipais. (Nelson Buzatto) 

Mais notícias