Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Posto da PRF de Carazinho pode ser desativado

Cinco dos 40 postos de policiamento no estado do Rio Grande do Sul devem fechar a partir do ano que vem, e um deles o que funciona em Carazinho, hoje instalado no antigo pedágio da BR 285. A decisão pelo fechamento foi tomada por medidas de segurança para evitar que policiais atuem sozinhos em determinadas unidades.Com isso Carazinho ficaria pertencendo ao posto de Passo Fundo.Porém, além da segurança, não há condições de trabalho no posto em Carazinho, que não tem telefone convencional, já ficou sem água por mais de uma semana, sem rádio para comunicação e sem internet.O risco de fechamento está mobilizando entidades de Carazinho que pretendem impedir a ação. O vice presidente do Sindicar (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Carazinho e Região), Moisés Santos, disse em entrevista para a Rádio Gazeta que uma reunião entre as entidades está sendo marcada para esta semana a fim de discutir o assunto e buscar auxílio político para evitar o fechamento que irá prejudicar o atendimento do posto.A ideia é obter apoio regional para o pleito, e lideranças políticas de municípios vizinhos também serão convidados a aderir ao movimento pelo não fechamento do posto da PRF em Carazinho.Questionado sobre um possível aumento de efetivo para evitar esse tipo de ação – fechamento dos postos -, o assessor de imprensa da PRF, Alessandro Castro, declarou que esse tipo de contratação depende de decisão governamental, e que não há previsão a curto prazo. Sobre uma possível precarização nos serviços prestados, a assessoria estima que não haja prejuízos, uma vez que os postos que serão fechados devem estar concentrados em região de menor fluxo de veículos.Celso Santos- DPTO Jornalismo LA

Mais notícias