Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Polícia Federal investiga supostas ameaças de atentado em campus da Ufrgs

Administração central da Universidade contatou a PF após tomar conhecimento de mensagens em fóruns na Internet

A Polícia Federal (PF) confirmou nesta quarta-feira que foi acionada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) para investigar supostas ameaças de ataque na instituição de ensino. Por meio de sua assessoria de imprensa, a PF informou que "está dando o devido tratamento à informação". As postagens em fóruns da Deep Weeb falam sobre atentados no campus do Vale, onde um usuário anônimo sugere que a "segurança é falha". 

Um professor confirmou à reportagem que uma reunião ocorreu na tarde de terça-feira na universidade para debater a segurança no local. Por conta disso, a administração central entrou em contato com a PF para que a situação passasse por uma diligência em caráter de prevenção.

Um e-mail foi encaminhado aos corpos docente e técnico de uma das faculdades. No texto, era pedido que quaisquer atitudes estranhas ou suspeitas deveriam ser relatadas à vigilância da universidade. A mensagem, de caráter interno, foi vazada para alunos e começou a circular em grupos de WhatsApp.

No começo desta tarde, a Ufrgs encaminhou uma nota oficial sobre o assunto. No texto, disse que "acionou, preventivamente, o setor de segurança da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), polícias Federal e Civil e o setor de inteligência da Brigada Militar e, ainda, reforçou sua segurança interna".

Íntegra da nota: 

"A Universidade Federal Rio Grande do Sul, assim como algumas outras universidades brasileiras, recebeu informações de ameaça de atentado no Campus do Vale, semelhante ao ocorrido em Suzano, SP. Diante disso, a Universidade acionou, preventivamente, o setor de segurança da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), polícias Federal e Civil e o setor de inteligência da Brigada Militar e, ainda, reforçou sua segurança interna. A UFRGS tomou essas medidas a fim de proporcionar a manutenção de todas atividades no local com segurança e tranquilidade".

Suzano

Nesta quarta, completou uma semana do ataque que resultou em dez mortos na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, em São Paulo. Homenagens foram feitas na escola para lembrar as vítimas do massacre.   

Interior do RS

Na última sexta, a Polícia Civil cumpriu dois mandados de buscas e apreensão na residência de um jovem, em Santa Rosa, suspeito de fazer apologia ao massacre ocorrido em Suzano, em São Paulo. Foram recolhidos balaclava, diários, livros, celular, bandana de caveira, entre outros objetos.

Em Santa Maria, o Colégio Militar reforçou sua segurança interna após identificar um aluno que postou, na internet, mensagens alusivas ao ataque contra a Escola Raul Brasil, em Suzano. No texto, o estudante indicava que outros alunos estariam correndo algum tipo de risco. O autor das postagens e seus familiares receberam atendimento da seção psicopedagógica da escola e foram encaminhados ao Hospital Geral de Santa Maria.

 

Foto: Flavio Dutra /

Mais notícias