Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Pirelli anuncia fechamento de unidade em Gravataí e transferência da produção para São Paulo

Empresa está instalada no município há 43 anos

A Pirelli anunciou nesta semana, em sua sede em Milão, na Itália, o fechamento da fábrica de Gravataí (RS), na região metropolitana, onde são produzidos pneus para motocicletas há mais de 40 anos. Conforme comunicado, a produção será transferida para Campinas, em São Paulo. O fechamento total e a extinção da fábrica na região que, segundo informou o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Artefatos de Borracha de Gravataí, conta com 1,2 mil funcionários diretos e indiretos, deve acontecer gradativamente em 24 meses.

O presidente do Sindicato, Flávio de Quadros, diz que foi uma notícia estarrecedora. "Sempre tivemos diálogo aberto e muita transparência com a empresa. Fomos pegos de surpresa. Por óbvio vamos trabalhar para reverter esta situação, que foi determinada de forma unilateral e desleal. Formaremos uma comissão e vamos buscar apoio junto à Câmara de Vereadores, Prefeitura, Assembleia Legislativa e governo do Estado. O município vai perder muito economicamente com a saída da fábrica da região. Sem falar no desemprego".

Segundo ele, na noite de segunda-feira, após a notícia ter sido repassada aos trabalhadores do terceiro turno, houve interferência na produção que apresentou queda. "Isso tudo afeta o psicológico do funcionário. Até o final do ano, a empresa deve manter o quadro e o funcionamento normal. A produção começa a ser reduzida, e os desligamentos feitos, a partir de 2020".

O secretário da Fazenda de Gravataí, Davi Severgnini, disse que foi impactante receber a notícia de que uma empresa, mundial, que está instalada há 43 anos na cidade, caminha para encerrar as atividades na região. "O prefeito foi oficialmente informado do fato. Entretanto, também foi informado que a unidade de pneus para caminhões, ônibus e máquinas agrícolas, que opera nas mesmas instalações e pertence à Prometeon, será mantida. Fato que atenua nossa preocupação. Porém, estaremos alertas e monitorando o desenrolar da situação. Da mesma forma, ficamos chateados porque o investimento anuncado pela empresa de US$ 120 milhõesno Brasil, não mais contemplará a cidade de Gravataí".

Mais notícias