Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Nara Bigolin é finalista em premiação Estadual de educação

O Prêmio Educação do Sinpro/RS tem como objetivo estimular e valorizar profissionais, instituições e projetos comprometidos com o ensino de qualidade
Divulgação Divulgação

A professora e pesquisadora Nara Bigolin é finalista do Prêmio Educação do Sinpro/RS. O Prêmio, instituído pelo Sindicato dos Professores do Ensino Privado – Sinpro/RS, ainda em 1998, tem como objetivo estimular e valorizar profissionais, instituições e projetos comprometidos com o ensino de qualidade e com a construção da cidadania.

—Fiquei muito feliz com a notícia e, principalmente, por ter uma mulher entre os finalistas, pois a Educação, em sua história,  sempre teve  mulheres  protagonistas—, compartilha a professora. 

Os selecionados foram avaliados pela Comissão Julgadora da premiação, levando em conta critérios como o compromisso com a educação de qualidade, o desenvolvimento da cidadania e o acesso ao conhecimento. Essa é a segunda vez que a professora foi indicada. Em 2018 ela também chegou a ficar entre os finalistas, mas não obteve premiação. " A vencedora naquela edição foi muito merecida, o que demonstra um prêmio sério e justo", analisa Nara.

— Ser reconhecida dentro de  meu estado e pelo orgão que representa a defesa dos direitos dos professores significa muito. Sempre nos perguntamos como educadores se estavamos fazendo o correto e de maneira útil para a sociedade. Quando temos uma indicação, e mais ainda sendo finalista de um prêmio relativo ao comprometimento com o ensino de qualidade, pensamos que estamos no caminho certo—, avalia.  

Sobre Nara

Nara Bigolin é professora e pesquisadora da UFSM com Doutorado em Computação pela Université de Paris VI – França. Atua como Docente e Pesquisadora há mais de 25 anos em várias Universidades da França e do Brasil com mais de 50 orientações e de 50 publicações. É co-fundadora e coordenadora do Movimento Meninas Olímpicas do Brasil e membro da Comissão da Educação Básica e conselheira suplente da Sociedade Brasileira de Computação. É membro da Ordem Nacional do Mérito Educativo e foi eleita Mulher Cidadã do RS pela ALRS pela sua contribuição na Educação. Foi reconhecida internacionalmente na principal Olimpíada do mundo, a IMO, pelo seu incentivo as meninas nas olimpíadas científicas.

— Nas últimas duas décadas, aprendi muito com as minhas duas filhas Mariana e Natália e com o meu filho Lucas, como acontece a construção do conhecimento. As teorias de grandes pensadores como Piaget, Vigotsky, Skinner e as inteligências de Gardner foram colocadas em prática e assimiladas na experiência da maternidade.  É lamentável que a sociedade não reconheça a sobrecarga da mulher com a maternidade, o que em muitos casos, afasta as mulheres brilhantes de suas funções na sociedade. Existem poucas políticas públicas que permitem que elas se desenvolvam profissionalmente após a maternidade. Inclusive nesta semana, num vídeo, um líder religioso defendia a submissão da mulher ao marido, negando o acesso da mulher à Universidade e ao conhecimento. Neste momento percebemos  o quanto é importante  um  movimento como o das meninas olímpicas e uma educação pública de qualidade, para que, um dia,  este tipo de líder religioso não seja mais ouvido e nem seguido—, finaliza. 

Sobre o Pêmio de Educação Sinpro/RS

O Prêmio se caracteriza por abranger amplamente a educação gaúcha, tanto da rede pública quanto do ensino privado, a partir de indicações espontâneas da sociedade gaúcha diretamente pela página da premiação. Em 2019, o evento promove sua 22ª edição, mantendo as características que marcam sua história há duas décadas. Foram selecionados pela Comissão Julgadora três finalistas de cada categoria (profissional, projeto e instituição) do Prêmio Educação RS 2019 entre os 56 indicados.

*Pérola Ceron

Mais notícias