Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Não dê carona para o sono

Os horários mais críticos para sonolência são após o almoço e na madrugada
Darlei Luan Lottermann Darlei Luan Lottermann

Cerca de 20 a 40% de todos os acidentes no trânsito são causados por sonolência ao volante, segundo o estudo realizado pela Academia Brasileira de Neurologia. Os horários mais críticos para sonolência são após o almoço e na madrugada.

De acordo com a otorrinolaringologista Dra. Amanda Costa, a sonolência ocorre com todos e medidas como tomar café, abrir os vidros, ligar o ar condicionado apenas mascaram o problema do sono ao volante por alguns segundos, não sendo efetivas para reduzir o número cada vez maior de acidentes relacionados ao sono.

Outro fato interessante, segundo ela, é que o cérebro acredita ainda estar apto para dirigir, contudo ele está confuso pelo efeito do sono, que prejudica imensamente o poder de decisão. Esse sintoma é muito semelhante ao efeito do álcool no organismo. “Fique atento! Uma ou duas horas de privação de sono já afetam seu desempenham no volante”, comenta.

Por isso que ao lermos placas: - Se beber não dirija! Devemos acrescentar se estiver com sono também não dirija, pois, os riscos são igualmente elevados. Um motorista com sono sente dificuldades em manter os olhos abertos e focados, além dos pensamentos ficarem vagos e desconexos. “O condutor começa a piscar mais lentamente, e sente dificuldades em manter a mesma velocidade, podendo até sair da pista. Não notar sinalizações, retornos ou errar o caminho também podem ser consequências da privação do sono”, afirma Dra Amanda Costa.

Existem diversas doenças que aumentam a sonolência diurna e que devem sempre ser investigadas em algumas profissões com risco elevado de acidentes no trânsito como o ronco e apneia. A otorrino observa que aquele paciente que ronca e tem pausas respiratórias durante o dia é um forte candidato a sonolência ao dirigir e representa sim um risco maior de sonolência ao volante se não realizar o tratamento adequado deste distúrbio do sono sendo um perigo para sua vida e dos outros.

Dra Amanda lembra: o sono sempre vence! “Ao planejar uma viagem se programe na noite anterior para dormir bem e ao primeiro sinal de piora da atenção pare e durma um pouco”, alerta. Outra medida interessante é a escolha de horários que o corpo está mais alerta fugindo da madrugada e do entardecer. Fazer grandes refeições na estrada aumenta a sonolência. Roncar e parar de respirar são sinais de que o sono durante a noite não apresenta uma boa qualidade. “Respeite os limites de seu corpo e os sinais de alerta para sua qualidade de vida. Fique atento! Não dê carona ao sono”, finaliza.

Com informações de Darlei Luan Lottermann

Mais notícias