Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Motorista de ônibus que tombou matando seis entrou há um mês na Unesul

A análise do tacógrafo do coletivo mostra que o veículo era conduzido a uma velocidade média de 115km/h a 120km/h, segundo o tenente José Roberto Teichmann, do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM). Conforme o policial, a velocidade máxima na curva onde ocorreu o acidente é de 60km/h. A análise do tacógrafo do coletivo mostra que o veículo era conduzido a uma velocidade média de 115km/h a 120km/h, segundo o tenente José Roberto Teichmann, do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM). Conforme o policial, a velocidade máxima na curva onde ocorreu o acidente é de 60km/h.

A Unesul confirmou que o condutor do ônibus que tombou matando seis pessoas, na tarde de hoje, na ERS-030, em Glorinha, era empregado da empresa havia cerca de um mês, mas era habilitado para transportar pessoas havia 18 anos. Jeferson Padilha da Silva, de 39 anos, não sofreu ferimentos, prestou depoimento à Polícia Civil (PC) e foi liberado. O teste de bafômetro deu negativo. A empresa também informou que o coletivo havia sido fabricado em 2013.A análise do tacógrafo do coletivo mostra que o veículo era conduzido a uma velocidade média de 115km/h a 120km/h, segundo o tenente José Roberto Teichmann, do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM). Conforme o policial, a velocidade máxima na curva onde ocorreu o acidente é de 60km/h.O tenente disse ter sido informado pela perícia que não havia sinais de problemas na suspensão do veículo, como disse o condutor em depoimento à PC. O motorista também relatou ao delegado Ânderson Spier que dirigia a uma velocidade média de 60km/h. A cobradora do coletivo relatou à família que havia 53 pessoas dentro do coletivo. Foi o que disse a irmã dela à reportagem da Guaíba. No coletivo cabem 49 pessoas sentadas e conforme a Unesul, todos os bancos possuíam cinto de segurança.(Agostinho Piovesan) 

Mais notícias