Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Material escolar está cerca de 8% mais caro do que em 2018, aponta FCDL-RS

Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Faltando poucos dias para o início de mais um ano letivo no Rio Grande do Sul, os pais já estão fazendo suas pesquisas de preços no comércio gaúcho para poder suprir a demanda de material escolar de seus filhos. Esse comportamento já vem é sentido pelos lojistas há algum tempo, mostrando que o preço é o fator decisivo no momento da compra de artigos como cadernos, lápis e mochilas, entre outros.

Levantamento realizado pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), mostra que, a exemplo dos dois anos anteriores, os pais estão pesquisando muito para encontrar o melhor preço, uma vez que o material escolar está cerca de 8% mais caro do que em 2018. A elevação é maior em produtos importados como mochilas e estojos, por causa da variação cambial, chegando a ter um incremento de 10%. Cadernos e outros produtos de papel tiveram aumento de até 8%, causado pela alta da matéria-prima do papel. 

- Como existe a necessidade do investimento no material escolar, que é um item básico, os pais estão procurando por artigos mais econômicos e que tenham, ao mesmo tempo, maior durabilidade. Uma dica importante é que eles estejam atentos à qualidade do material, verificando se possuem a certificação obrigatória do Inmetro. Para os lojistas venderem mais a recomendação é a oferta de descontos para pagamentos à vista, o que garante um fluxo de caixa maior nesse início de ano – enfatiza o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch. 

Fonte: FCDL-RS

Mais notícias