FM 95.9 -FM106.5

AM 1160

Mãe mantém a versão de não ter intenção do crime

IGP-RS também informou que laudos periciais deverão ser entregues em, até duas semanas
Foto - Divulgação Foto - Divulgação

As investigações para elucidar o assassinato de Rafael Winques, de Planalto, permanecem sendo realizadas pela Polícia Civil. Nesta quarta-feira, 27, a mãe, Alexandra Dougokenski, prestou novo depoimento aos policiais e ratificou a versão apresentada inicialmente.

Durante a coletiva de imprensa na terça, 26, o delegado responsável pelo inquérito, Ercílio Carletti, afirmou que a versão apresentada pela mãe contradiz a declaração do IGP-RS. “A perícia demonstra que a causa da morte foi asfixia mecânica, algo incompatível com a medicação”, declarou Carletti. A porta voz do Departamento de Polícia do Interior, Larissa Fajardo, confirmou que Alexandra, em novo depoimento, não alterou a sua versão.

Há uma previsão que Alexandra seja transferida para a região metropolitana. Atualmente, ela está detida em Iraí.

Laudo da necropsia está em andamento

Conforme comunicado encaminhado pelo IGP-RS, o laudo da necropsia está em andamento e prazo para emissão do resultado é de duas semanas.

“O Laudo da necropsia está em andamento, bem como a análise toxicológica da amostra de sangue coletada no cadáver. Esse procedimento é feito pelo Departamento de Perícias Laboratoriais (DPL), em Porto Alegre, que também está processando a amostra coletada durante a perícia de luminol, realizada dia 22. A previsão para a conclusão dos Laudos é de até duas semanas. Poderão ser realizadas outras perícias que venham a ser solicitadas pela Polícia Civil, no decorrer das investigações”, explica o comunicado.

Mais notícias