Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Liga de Combate ao Câncer de Frederico Westphalen auxilia pessoas em situação de vulnerabilidade

Instituição arrecada doações e criou um brechó para reverter as vendas em alimentos, medicamentos, roupas e materiais de higiene e limpeza

A Liga de Combate ao Câncer de Frederico Westphalen (LCC/FW) atende, neste momento, 33 pessoas em situação de vulnerabilidade. A entidade sem fins lucrativos e que mobiliza diretamente 17 voluntárias, mantém em sua sede, na rua 21 de Abril, centro da cidade, um brechó com mais de cinco mil itens entre roupas e calçados, produtos doados pela população e empresas para arrecadar fundos para o auxílio.

Segundo a presidente da liga, Elizabete Stefanello dezenas de outras pessoas e entidades comunitárias colaboram de forma indireta. “Nós atendemos somente pessoas acometidas de câncer em situação de dificuldades financeiras, sendo que as famílias recebem uma cesta básica de 90 quilos há cada dois meses, medicamentos, material de higiene e limpeza, mesa e banho, além de calçados e roupas”, disse.

Elizabete informou, ainda, que as assistidas recebem também assistência psicológica e jurídica. A entidade mantém as atividades a partir da venda de produtos no brechó. “Na sede, comercializamos produtos novos – calçados e roupas – e não apenas usados e isso atrai cada vez mais pessoas, pois sabem que o destino do dinheiro é aplicado numa causa maravilhosa, que visa garantir mais vidas e o bem-estar das pessoas com câncer”, avalia Elizabete.

No brechó, que permanece aberto de segunda a sexta-feira, das 13h30min às 17h, podem ser adquiridos produtos a partir de R$ 2. A direção da LCC/FW informa, ainda, que dispõe de 400 peças de louças de porcelana e toalhas para alugar. Além do aluguel da sede, as despesas de manutenção da instituição inclui o pagamento de contas de luz e água.

A direção da Liga lembra que muitas vezes as pessoas possuem roupas em ótimo estado e que não usam e que podem doar o material. “Com este gesto, os doadores estarão auxiliando pessoas em situação de vulnerabilidade e que enfrentem sérios problemas de saúde, isso faz bem para que os doam e para os que recebem”, destaca Elizabete. A liga foi fundada em 2005.

Mais notícias