Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Juliano Roso visita União Frederiquense nesta sexta-feira

Na avaliação do parlamentar, a valorização dos clubes de futebol do interior passa pelo apoio financeiro
Foto: Arquivo/ deputado Juliano Roso. Foto: Arquivo/ deputado Juliano Roso.

A defesa do esporte é um dos pontos defendidos pelo deputado Juliano Roso (PCdoB). Nesta sexta-feira o parlamentar estará em agenda em Frederico Westphalen e apresentará projeto que trata da venda de bebida nos estádios para direção do União Frederiquense.

Na avaliação do parlamentar, a valorização dos clubes de futebol do interior passa pelo apoio financeiro.  “Nosso Estado conta com diversos times de tradição e centenários que passam por imensas dificuldades financeiras e não tem, por parte do poder público gaúcho ou da iniciativa privada, a atenção devida”, explica.

Segundo ele, as dificuldades se acentuaram após a legislação de 2008 que impede a comercialização de bebidas alcoólicas nos estádios. A venda de bebidas era um importante  meio de receita dos clubes do interior e representa cerca de um terço do orçamento dos times.

“Apesar de compreendermos que a restrição tenta combater a violência nestes espaços,  entendo que precisamos revisar esta legislação como meio de criar um mecanismos de sobrevida aos clubes”, comenta.

Diante desta perspectiva, Juliano apresentou projeto, que tramita na Assembleia Legislativa, e prevê a volta da venda de bebidas nos estádios. A proposição visa liberar a venda apenas durante intervalos, e após os eventos.

“Percorro o Estado apresentando a proposta aos clubes e a recepção foi muito positiva”, afirma.  Na avaliação dele, o pedido de retorno da venda de bebidas nos estádios, por parte do Sindiclubes-RS, é a concretização do apoio à matéria.

O parlamentar aponta que é possível liberar a venda de bebida e, ao mesmo tempo, reforçar a vigilância, seja física ou eletrônica para eliminar as ações violentas de maus torcedores dos estádios. “Acredito que esta seja  a maneira correta de garantir segurança."

Juliano afirma que é necessário perceber que o ato de proibir o consumo de álcool durante os jogos não impede a violência.  “Os torcedores consomem bebida até a porta dos estádios, uma atitude que coloca em xeque a “lei seca” imposta nestes espaços. As agressões ou atos de vandalismo apenas serão impedidas com educação, vigilância e penalização dos envolvidos em tais atos”, finaliza.

Cássia Paula Colla

Mais notícias