Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Governo discute com Moro soluções para o sistema penitenciário gaúcho

Foram encaminhadas ações conjuntas entre Estado e União
Gustavo Mansur / Palácio Piratini Gustavo Mansur / Palácio Piratini

Aproveitando a vinda do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, para a posse da presidência do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) nesta quinta-feira (27/6), representantes do governo gaúcho apresentaram o programa RS Seguro e discutiram, principalmente, possíveis soluções para o sistema penitenciário gaúcho.

Durante cerca de uma hora, o governador Eduardo Leite, o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, e o secretário da Administração Penitenciária, Cesar Faccioli, propuseram ações conjuntas com a União para enfrentar o déficit prisional, que supera 13 mil vagas, e pediram que o Rio Grande do Sul seja classificado entre os Estados prioritários pelo governo federal.

“Apresentamos o que estamos estruturando de projetos para o Rio Grande do Sul em aumento de vagas ofertadas no sistema prisional e, com a equipe do ministro Sergio Moro, buscamos identificar qual é a linha de ação do Ministério da Justiça, para que possamos convergir e, assim, potencializar as nossas ações para a reestruturação do sistema penitenciário do RS”, resumiu o governador. “Foi uma boa reunião. Acredito que existe uma boa convergência de pensamentos nesse tema, e as possibilidades de avanço são grandes.”

Responsável por liderar um planejamento com ações de curto, médio e longo prazo para melhorar o sistema penitenciário gaúcho, Faccioli disse que uma nova reunião com a equipe do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) já foi alinhada. “Aproveitamos a presença do diretor-geral do Depen, Fabiano Bordignon, para requisitar ajuda dos técnicos federais na elaboração de projetos e soluções para amenizarmos os problemas aqui no RS. A sugestão foi acatada e em breve deveremos nos reunir para traçar estratégias”, afirmou o secretário.

Mais notícias