FM 95.9 -FM106.5

AM 1160

Governador recebe Cpers para discutir reajuste dos professores

Presidente do sindicato garante estar aberta ao diálogo para garantir cumprimento da lei do piso Presidente do sindicato garante estar aberta ao diálogo para garantir cumprimento da lei do piso

O governador José Ivo Sartori deve receber, na manhã desta quinta-feira, a diretoria do sindicato dos professores (Cpers) para dialogar sobre o Piso Nacional e a parcela do reajuste do governo anterior. A presidente do Cpers, Helenir Oliveira, destaca que a categoria aguarda o cumprimento da lei, com o pagamento dos 13%, mas revela que o sindicato está aberto ao diálogo com o governo, inclusive, para a negociação dos 34,67% que faltam ser pagos do reajuste dos educadores. “Desde 2006, a Lei do Piso não está sendo cumprida no RS, mas iremos dialogar com o governo para que nos pague o reajuste e apresente proposta para a negociação da dívida.” Para o secretário estadual da Educação, Vieira da Cunha, uma alternativa para concretizar os pagamentos é alterar a Lei do Piso, de modo a disponibilizar recursos federais a estados e municípios sem verba própria para esse pagamento. O reajuste de 13% no Piso do Magistério público gaúcho deverá representar um impacto de R$ 200 milhões para as prefeituras do RS neste ano. A estimativa é da Famurs, que prevê grande dificuldade para municípios manterem o pagamento, já que o cálculo foi baseado na variação do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). O presidente da Famurs, Seger Menegaz, afirma que o Piso acumula mais de 100% de alta, desde 2008, quando foi instituído; e que os acréscimos superam em 44% a inflação. “Ele foi baseado em estimativa de receitas e não em valores arrecadados. É improvável que os prefeitos consigam manter esse pagamento.” Porém, Seger reconhece a importância da valorização dos professores. “Entendemos a necessidade do pagamento, mas não é uma questão simples”, argumenta.  (Nelson Buzatto) 

Mais notícias