Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Constantina sedia Conferência Temática Livre Regional das Agricultoras Familiares

A organização das mulheres e a afirmação dos seus direitos marcaram um evento. A organização das mulheres e a afirmação dos seus direitos marcaram um evento.

A organização das mulheres e a afirmação dos seus direitos marcaram um evento realizado em Constantina, na última sexta-feira (03/07). No Clube Comercial, centenas de agricultoras do município, Engenho Velho, São José das Missões, Liberato Salzano, Rondinha e Novo Xingu participaram da 1ª Conferência Temática Livre Regional das Agriculturas Familiares, evento promovido Emater/RS-Ascar, Coletivo de Mulheres, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Fetraf/RS. O evento aconteceu em preparação à 5ª Conferência Estadual de Políticas para as Mulheres, que acontecerá de 5 a 7 de novembro, em Porto Alegre, e para a 4ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres, que será realizada entre 15 e 18 de março de 2016.A programação da Conferência iniciou-se com a apresentação da cartilha sobre agrotóxico, pela representante do Instituto Consciência Planetária, Rosaura Berti, que destacou os perigos do uso excessivo e indiscriminado de defensivos. Segundo ela, hoje, no Brasil, o uso de agrotóxicos atinge 70% dos alimentos in natura. Para encerrar sua fala, Rosaura utilizou o depoimento do agricultor de Barra do Ribeiro, Juarez Felipe Pereira. “Mais importante que produzir é a qualidade daquilo que se produz e a vida que se pode preservar: a vida do meio ambiente, a vida do ator principal da cena, que é o agricultor, e a de quem se alimenta com o fruto do nosso trabalho”.A assistente técnica regional da área social da Emater/RS-Ascar, Dulcenéia Haas Wommer, falou sobre “Mais direitos, participação e poder para as mulheres”, tema da Conferência Nacional, no próximo ano. Entre os desafios ainda existentes para fortalecimento da classe feminina, Dulcenéia numerou alguns. “Um dos grandes desafios que a mulher tem a vencer é compreender que o núcleo familiar é o primeiro espaço de desigualdades. Além disso, é necessário desconstruir a noção de que o trabalho das mulheres é ajuda. Outros pontos importantes são reconhecer e favorecer o protagonismo das mulheres na produção, gestão, comercialização e acesso às políticas públicas, estimular e apoiar processos de auto-organização e autonomia econômica das mulheres, garantir a participação efetiva das mulheres nas decisões, entre outros”.A atuação das mulheres na construção da segurança alimentar e nutricional também foi tema debatido durante o evento, que se encerrou com a elaboração de propostas para a Conferência Estadual. O seminário contou com a participação de autoridades locais, regionais e estaduais. O gerente do escritório regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, Francisco Frizzo, ressaltou a necessidade da organização das entidades em prol desse objetivo e destacou o trabalho da Emater/RS-Ascar no desenvolvimento de ações inclusas às mulheres do meio rural.A coordenadora estadual da Fetraf-Sul, Cleonice Back, reconheceu o importante papel da Emater/RS-Ascar como executora de inúmeras políticas públicas essenciais para o meio rural. “Precisamos analisar a situação em que estamos para construir ideias, pensando nas agricultoras familiares. Muita coisa já mudou e melhorou no meio rural, mas os desafios continuam, como o de continuar nos organizando e buscando sempre mais”, declarou Cleonice.Para a representante do Coletivo de Mulheres, Dilva Brum, a realização destes eventos já é resultado das conquistas pela união das mulheres. “Se nós estamos aqui hoje, como coletivo, é graças à nossa organização, à nossa caminhada construída. A nossa intenção é debater aqui o que nós, mulheres agricultoras familiares, queremos para o futuro”, exclamou.Jornalista Marcela Buzatto(Nelson Buzatto) 

Mais notícias