Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Começa a recuperação na rede elétrica das escolas estaduais

A meta é desenvolver projetos para 200 escolas já selecionadas

Parceria feita por meio de termo de cooperação do governo do Estado com oito universidades gaúchas, firmada em fevereiro de 2018, começa a trazer resultados, possibilitando a elaboração de projetos de reforma elétrica nos estabelecimentos das escolas estaduais dos municípios.

A meta é desenvolver projetos para 200 escolas já selecionadas em todo o Rio Grande do Sul, com a participação de 70 estagiários e um investimento de R$ 200 milhões em quatro anos. A verba é de um empréstimo junto ao Banco Internacional (Bird), além de contrapartida do Estado.

Segundo o secretário da Educação, Ronald Krummenauer, a iniciativa de modernizar a rede elétrica das escolas é uma reivindicação antiga e também atende a um pedido trazido pela conversa que manteve com todos os gestores escolares do estado, em março e abril desde ano, o Bate-Papo com os Diretores.

A ação promoveu uma conversa do secretário com cada um dos mais de 2,5 mil diretores de escola. “Em todos os encontros, a questão da rede elétrica das instituições foi tema recorrente. A parceria com as universidades vai agilizar a elaboração dos projetos, um dos gargalos existentes para resolvermos estes problemas”, afirmou Krummenauer.

Serra

Na Serra, o convênio com a Universidade de Caxias do Sul estabelece que 10 alunos do 8º ao 10º semestres de engenharias Civil e Elétrica recebam bolsas de estágio. Na região, os projetos são em 33 escolas e no prédio da 4ª Coordenadoria Regional de Educação e estão sob supervisão de professores dos cursos e do engenheiro eletricista responsável da Secretaria de Obras do Estado. O cronograma de ação começou nesta semana, com visita à escola Irmão Guerini, no bairro Ana Rech, seguida de visita à Escola José Generosi e ao Colégio Henrique Emílio Meyer, todos em Caxias do Sul. A sede da 4ª CRE, também na cidade, já foi vistoriada pelo engenheiro e pelos estagiários.

 

“Trata-se de uma iniciativa importante, temos que nos aliar na busca de soluções. Para nossa região, será um salto no tempo, pois sem a parceria seriam necessários muitos anos para efetivação dessa tarefa”, destacou a coordenadora da 4ª CRE, Janice Moraes.

 

Pelo contrato, os alunos vão às escolas e verificam a rede. Analisam itens como central de distribuição, fiação e iluminação. Após levantamento, começa a fase de elaboração do projeto - no caso de Caxias do Sul, será na UCS, e, posteriormente, os documentos serão encaminhados à 4ª Coordenadoria Regional de Obras para análise orçamentária e licitação. O prazo de conclusão das obras varia de acordo com o estado da rede da escola, mas a previsão é de que não ultrapasse seis meses.

Prazos

Em Santa Maria, na 8ª Coordenadoria Regional de Educação, as visitas a escolas já foram feitas. A Coordenadoria Regional de Obras Públicas (Crop) conta com quatro estagiários e, até o final de maio, contratará, através do convênio com a Universidade Federal de Santa Maria, outros seis para os projetos. Pelo menos cinco obras já foram vistoriadas estão com os dados apurados. “A previsão é de que a gente conclua alguns projetos até junho”, informou o coordenador regional da Crop, Maurício Oberto.

 

Universidades que estão participando:

 

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Pontifícia Universidade Católica do RS (PUC)

Universidade de Caxias do Sul (UCS)

Universidade de Passo Fundo (UPF)

Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI)

Universidade Federal do Pampa (Unipampa)

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Riograndense (IFSul/Pelotas)

Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)

Mais notícias