Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

Autodeclaração para receber R$ 600 será feita pela internet

Aplicativo utilizado para cumprir um dos critérios deverá ser baixado apenas por pessoas que não estão inscritas no CadÚnico
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Em coletiva de imprensa realizada no Palácio do Planalto na tarde desta sexta-feira, 3, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou como será feita a autodeclaração das pessoas que vão solicitar o auxílio emergencial de R$ 600, apelidado de “coronavoucher”. Na coletiva, também estiveram presentes os ministros da Economia e da Cidadania, Paulo Guedes e Onyx Lorenzoni.

Guimarães explicou que a autodeclaração – um dos requisitos para solicitar o benefício – deverá ter um elevado número de downloads a partir do lançamento oficial. “Sabemos que quando lançarmos, teremos dezenas de milhões de acessos num dia só. Gostaríamos de reforçar que não lançamos ainda, então qualquer aplicativo que as pessoas estejam vendo, não é do governo federal. Porque este é o único que efetivamente concentrará esta base de dados”, frisou.

O presidente da Caixa ainda explicou que a opção pelo aplicativo, deve-se ao fato de que, segundo ele, 96% dos clientes terem acesso ao sistema Android. Na segunda-feira, 6, será anunciado o calendário e os mecanismos operacionais e, ainda durante a próxima semana, o cronograma de pagamento e uma Central de Atendimento via telefone deverá ser anunciado. 

O app

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, ressaltou que na segunda-feira, irá lançar o aplicativo que a autodeclaração será feita e explicou o segundo aplicativo que deverá ser utilizado no pagamento.

– Os informais darão a informação a Caixa para que nós possamos montar a base e entender se as pessoas podem ou não receber o benefício. Existe um segundo app, que já está pronto mas iremos detalhar na semana que vem, será de graça e qualquer brasileiro, que possui conta em qualquer banco, receberá da Caixa, uma TED de graça. Ou seja, se tem uma conta no Banco do Brasil, a Caixa irá repassar o valor ao Banco do Brasil, que realizará o pagamento – destacou.

Quem deverá baixar o app?

O Ministro da Cidadania explicou quem deverá baixar o app. “O app deverá ser baixado pelos informais que não estão no CadÚnico, os contribuintes individuais no INSS e os Micro Empreendedores Individuais (MEI). Aquele que que eventualmente estiver cadastrado no CadÚnico, se ele tiver algum registro, o app vai afirmar que ele já está na base de dados”, frisou, ainda ao ressaltar que o app estará disponível a partir da terça-feira, 7. “Aquele que se cadastra a partir da terça, terá, mais ou menos, 48h para confirmar o local ou a conta que esse recurso vai ser pago. Deve ser essa a metodologia que vamos usar”, completou.

Ainda conforme Lorenzoni, o site do CadÚnico está fora do ar e, conforme a legislação, serão utilizados os dados daqueles que efetuaram o cadastro até o dia 20 de março. “Não há necessidade de ninguém se cadastrar pelo CadÚnico. Volto a frisar, o cadastramento será no aplicativo no aplicativo, que, junto com a Caixa, deixaremos disponível na terça-feira pela manhã”, salientou.

Mais notícias