Ouça Agora

95.9 FM / AM 1160

"A iniciativa privada também precisará se adaptar ao momento", afirma Leite

Leite propôs a criação de grupo de conversação on-line entre os representantes, a fim de manter a troca constante de informações
Gustavo Mansur / Palácio Piratini Gustavo Mansur / Palácio Piratini

No fim da tarde de terça-feira (17/3), o governador Eduardo Leite recebeu representantes de entidades e chefes de Poderes para nova reunião de trabalho sobre as ações tomadas para retardar a propagação do coronavírus no Estado. O encontro também contou com uma apresentação da secretária Leany Lemos (Planejamento, Orçamento e Gestão), que traz dados da evolução do Covid-19 no mundo e projeções para o Rio Grande do Sul.

"A hora de agir é agora, mesmo que tenhamos ainda poucos casos confirmados. Somente as medidas determinadas pelo governo não serão suficientes. Precisamos que a iniciativa privada também se planeje para enfrentar esse período difícil", explicou o governador.

Leite se refere às alterações de rotina, como rodízio entre os funcionários e mudanças de jornadas, para evitar a lotação do transporte coletivo, além da implementação do teletrabalho, em funções que possam ser adaptadas ao regime. Mesmo cientes das complicações econômicas da crise de coronavírus, as entidades se mostraram compreensivas. Além de destacarem a importância de uma análise de dados com cálculos estatísticos, também exaltaram a rapidez com que as atitudes estão sendo tomadas pelo governo. Embora tenham demonstrado preocupação com os negócios, os representantes de mostraram atentos à situação e expuseram planejamentos que estão sendo elaborados.

O governador propôs que um grupo de conversação on-line seja montado entre os representantes, a fim de manter a troca constante de informações. Também estimulou que as universidades se reúnam para formar um grupo técnico com especialistas. O encontro contou com a presença de chefes de Poderes, parte do secretariado do Executivo, do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo, do prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, e representantes de entidades comerciais, do agronegócio, da área hospitalar e de universidades.

Mais notícias